INSTITUTO CONSCIÊNCIA & AÇÃO realiza evento de sucesso e dá mais um passo em prol da formação integral do ser humano

O IC&A atuando, desde sua fundação, na formação de uma cultura de respeito à dignidade humana, através da promoção e da vivência dos valores da liberdade, da justiça, da igualdade, da solidariedade, da cooperação, da tolerância e da paz, dá mais um grande passo, na consecução de seus objetivos.

Dentro do eixo Educação em Direitos Humanos, o Instituto acaba de lançar o projeto “Direitos Humanos e Cidadania na Escola”, projeto piloto na E. E. Professor Luiz Antônio Corrêa de Oliveira. O evento aconteceu dia 04 de junho, a partir das 19:30 horas, no Teatro Municipal de Araxá. Estiveram presentes alunos, professores e direção da escola, representantes de várias escolas do município, profissionais liberais apoiadores, pessoas da comunidade em geral, vereadores, o presidente da Câmara Municipal de Araxá, e o Deputado Estadual Bosco.

O IC&A contou e continuará contando com os seguintes parceiros para a realização do projeto: OAB/MG – 33ª. Subseção de Araxá (Comissões OAB na Escola, Direito Humanos e OAB Jovem), UNIARAXÁ (Curso de Pedagogia), 37º Batalhão da Polícia Militar do Estado de Minas Gerais e apoiadores.

O projeto, que vem sendo desenvolvido desde o mês de maio, se estendendo até o final de outubro de 2018, atenderá aproximadamente 1.500 alunos, do 6º ao 9º ano, do Ensino Fundamental, e o 1º, 2º e 3º ano do Ensino Médio, da Escola Estadual Professor Luiz Antônio Corrêa de Oliveira, com o apoio e incentivo do corpo docente e demais profissionais de educação da escola, dirigidos pela dinâmica Zulma Moreira, que não mede esforços para que a escola galgue patamares elevados no contexto estatual. Conta com a coordenação geral de Dr. Carlos Orlandi Paiva, da coordenação jurídica do IC&A, como coordenadora pedagógica a afiliada do Instituto Rosângela Beltrami e coordenador administrativo João Bosco Ferreira, presidente do Conselho Fiscal do IC&A.

Serão realizadas palestras para alunos e professores, estudos sobre a temática Direitos Humanos e Cidadania junto aos professores, rodas de terapia comunitária integrativa (TCI), dentre outras atividades, visando à formação humana, do cidadão ativo e de líderes, tendo como material didático, da Coletânea “Educar para a Cidadania”, o livro de autoria da Presidente do IC&A, Sandra Afonso, “Direitos Humanos e Cidadania na Educação” e a cartilha do Instituto, “Multiplicar o bem é…”, criação de Domingos Antunes, conteúdo e apoio editorial de membros da entidade, que será distribuída a todos os alunos e profissionais da escola.

O livro traz um estudo profundo e necessário para quem quer sair da letra e teoria, assumindo a prática um novo rumo para nossa história social. É um alerta para a realidade e convite ao educador a refletir sobre a responsabilidade de sua participação direta na conscientização dos direitos do cidadão.

A Cartilha “Multiplicar o bem é…” reúne conceitos, sugestões de atitudes a serem observadas/tomadas em nosso dia a dia, promovendo um relacionamento saudável em todos os meios de atuação: no trabalho, na escola, em família e sociedade. Aliado a isso, em suas páginas, ilustrações referentes a cada conceito apresentado e frases de pensadores reconhecidos por promoverem a paz e a união dos homens.

O projeto piloto tem como proposta desencadear ações que possam contribuir para prevenir, amenizar ou solucionar conflitos, sem violência, difundindo valores, princípios éticos, direitos e deveres, na busca da paz por meio da educação e do conhecimento. O objetivo principal é promover o conhecimento dos Direitos Humanos no cotidiano escolar e as práticas sociais de uma cultura da cidadania.

Após cada palestra, os professores, em sala de aula, poderão desenvolver atividades/projetos com seus alunos, tendo como motivação páginas da cartilha ligadas ao tema apresentado.

Num contexto marcado pelo alto índice de violência, de desrespeito aos Direitos Humanos, às leis vigentes em nosso país, pela banalidade do mal, pela insensibilidade em relação aos problemas sociais, o que se deve principalmente à falta de conhecimento e de oportunidades (de educação de qualidade, de trabalho, de participação social), a escola possui funções primordiais: oferecer conhecimento e fomentar práticas sociais, inserindo a temática Direitos Humanos no seu cotidiano.

Afirmou a presidente, na abertura: “Presenciamos, estarrecidos, a alienação, a coisificação e a massificação em nossa sociedade, a falta de líderes comprometidos com o bem coletivo, com a justiça social; a falta de sensibilidade diante da miséria, a banalização do mal, a corrupção endêmica. Afinal, manifestações de uma cultura que, em dor adoece, e grita por socorro”. E, nesse cenário, a educação, segundo ela, emerge como a solução. Educação como fonte de humanização do homem, como instrumento para modificar o meio e aprimorar o conhecimento, como fonte de mudança e de libertação, como garantidora de autonomia, como formadora de consciência.

Representando os parceiros, manifestou-se o Tenente Coronel Fernando Marcos dos Reis, que alertou a todos sobre a importância da

segurança em nosso país, porém destacou a educação transformadora, fator principal que o levou a abraçar a iniciativa do Instituto. Reginaldo José Cavallaro, vice-presidente do Instituto, e gestor de projetos, falou sobre “Desenvolvimento tecnológico e relações humanas”, alertando para a necessidade do convívio familiar, lembrou que conhecemos a superfície da lua e de Marte, queremos ir até Saturno, no entanto ainda não conhecemos as pessoas que estão dentro de casa. Rosângela apontou a importância da família no processo de formação para a cidadania e do trabalho dos educadores e da necessidade de ouvir os jovens.

A diretora Zulma parabenizou os alunos e professores presentes, e observou: “não é uma aula, não é um projeto de um dia, é um processo … que sejam cidadãos que contribuam, que tenham tolerância, que façam mudar a sociedade que é o que tanto a gente precisa hoje”. O presidente da Câmara Municipal, vereador Fabiano Santos Cunha, aplaudiu a iniciativa do Instituto e colocou a Câmara à disposição para ajudar. Em sua manifestação, Deputado Bosco, recordando-se de seu tempo de aluno da escola Polivalente, e do quanto a escola contribuiu em sua formação, apoiou e aplaudiu o projeto, destacando a importância da Cartilha.

Ao final, Dra. Sandra Afonso de Castro, agradeceu a presença de todos e afirmou: “O IC&A e todos os membros da equipe envolvida acreditam poder se somar aos profissionais da escola e contribuir para a formação do cidadão ativo, pronto a agir, intervir em seu meio, responsavelmente, em prol do bem comum”.

Autoridades presentes junto à presidente Dra. Sandra Afonso.

Zulma Moreira diz o que espera do projeto em sua escola.

 

Tenente Coronel Fernando Marcos dos Reis destaca a parceria do 37º Batalhão da Polícia Militar de Minas Gerais com o IC&A e a importância da educação transformadora. Ao fundo, foto do prof. Luiz Antônio Corrêa de Oliveira, homenageado no evento.

 

A presidente ladeada por Eleína Martins, supervisora da escola, Terezinha Grizzuti e João Bosco Ferreira, ambos do IC&A.

Sandra e Reginaldo Cavallaro, prestigiados pelos irmãos da presidente, Soraia e Helvécio Júnior, com a filhinha Larissa.

 

Zulma, membros do IC&A, Dep. Bosco, amigas Sandra e Dra. Carmélia.

 

Dra. Sandra Afonso e Reginaldo Cavallaro, reeleitos presidente e vice-presidente do IC&A

Em Assembleia Geral, realizada na sede do Instituto, dia 21 de março de 2018, foram eleitos e empossados para a 2ª. gestão (março/2018 a março/2021) – Diretores: Sandra Afonso de Castro (presidente), Reginaldo José Cavallaro (vice-presidente), Elza Maria Clemente (primeira secretária), César José de Resende Neves (segundo secretário), Neusa Maria da Silva (tesoureira), Terezinha Aparecida Batista Grizzuti (segunda tesoureira). Conselho Fiscal: João Batista Ferreira (presidente), Antônio Geraldo Alves Ribeiro (secretário) e Fernando Afonso de Rezende. Alberto Parreira Borges o), – Suplentes: Angélica Paula Souza Boreli, Gustavo Felix Grizuti e Alberto Parreira Borges.